30.3.12

Da pobreza



É talvez uma frase batida, mas não deixa de ser absolutamente verdadeira. A verdadeira pobreza é a de espírito.Queremos muito, mas pensamos pequenino e fazemos na medida do indispensável. Raramente nos sentimos satisfeitos com o que temos e a maioria das vezes estamos insatisfeitos com quase tudo ao nosso redor. Cortamos á esquerda e á direita. Passamos a vida de olhos postos no que é dos outros. Vivemos colerizados no trânsito, na fila de supermercado, com o vizinho do lado, com o cão da vizinha da frente, com a mulher, o marido, os filhos, os namorados. Cultivamos escrupulosamente a crítica, somos esbanjados nas palavras desagradáveis, altruístas no bota abaixo, colocamos-nos com naturalidade no pedestal e ficamos comodamente á espera que a vida nos presenteie só com coisas boas. 
Dizer bom dia, ser educado, promover o elogio - o merecido, não o hipócrita, que desse sobra - incentivar e reconhecer o mérito e qualidades das pessoas á nossa volta, parece ser não só difícil como indesejável. 
Pior do que isso, de tão raro, quando alguém parece querer contrariar a maré, a maioria estranha. Recusa, sente-se desconfortável. Convive-se melhor com o que nos deita abaixo do que com o que nos valoriza, com o que nos faz acreditar que somos capazes de mais e melhor. É claramente mais fácil viver com a fasquia baixa. Se os outros não nos vêm com bons olhos e só identificam e assinalam os defeitos, qualquer coisa que venha não só está dentro das expetativas como facilmente supera o que esperam e esperamos de nós. E assim vamos caminhando, de mal estar em mal estar, de mãos dadas com a pequenez. A de espírito e a do lado da vida que escolhemos para morar, esta estranha casa do mal-estar geral que se entranhou nas paredes da alma lusitana. É triste que só consigamos brilhar promovendo a sombra dos outros. Mas parece que foi coisa que veio para ficar.

4 comentários:

  1. Gostava de discordar... mas não posso.
    Bom Fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  2. Infelizmente, concordo contigo.

    ResponderEliminar
  3. Absolutamente e parece que se pega :( muito bem escrito, bfs

    ResponderEliminar
  4. Que pena, haver tanta gente a concordar... sintomático, portanto...
    obrigada pelas vossas visitas

    ResponderEliminar