este lugar não é sempre cor de rosa, por aqui não há sempre sol e nem tudo são flores.
também há dias cinzentos, chuva, cardos e urtigas.
é tudo isso que o faz uma boa parte de mim.

13.5.15

[update]

Este blogue parece ter sido votado ao abandono. Mas não foi. Há muitos posts por atualizar, muitas fotografias por partilhar e uma vontade enorme de ter tempo suficiente para o fazer. Fica a promessa de limpar a teias de aranha aos cantos desta casa, tão breve quanto possivel. Obrigada a todos os que insistem em vir aqui espreitar, mesmo quando reina o silêncio. E perdoem-me todos os comentários antigos que têm ficado por responder.

Até já!

28.4.15

[recomeçar]

Ouvia-se ao longe o sino. Era hora de partir.
Olhámos para trás antes de fixar o olhar no caminho que nos esperava. O motor arrancou mesmo sem o coração consentir. Ali ficava uma parte de nós, quase tudo o que conhecêramos na vida como bom e feliz. Sobre o que estava distante, no fim da estrada que se desenhava grande e cheia de curvas, nada sabíamos. Era talvez a isto que os livros chamavam uma grande aventura.
Seguimos. Foi assim que tudo recomeçou. Para recomeçar é sempre preciso partir de novo."

20.3.15

Açúcar e Amores-Perfeitos


Sou uma apaixonada pela vida e sou uma apaixonada por muitas coisas na vida. 
A partilha de momentos com aqueles que me são importantes, pensar e cuidar dos detalhes em quase tudo o que faço, mergulhar na natureza tão frequentemente quanto possível, fotografar quase tudo o que rodeia e encanta, escrever e cozinhar são sem duvidas das coisas que mais me apaixonam, mais me completam e mais feliz me fazem. 
Costumo dizer que o tempo, ou a falta dele, não é desculpa para nada. Somos nós que a maioria das vezes nos enredamos na própria teia que criamos ao nosso redor, quando queremos chegar a tudo e a todos, quando não sabemos priorizar, quando não sabemos hierarquizar ou até mesmo quando não sabemos dizer "não". Mas a verdade é que nem sempre é fácil. E menos fácil é quando somos apaixonados por coisas que para serem vividas em pleno não podem estar contaminadas por timings e pressões. 
Vem tudo isto a propósito de as partilhas por aqui serem cada vez mais espaçadas, de não visitar os blogues de outras pessoas que sigo há anos e de quem gosto, há um ror de tempo. De não responder sequer aos poucos comentários que algumas almas queridas vão deixando por aqui, de vez em quando. De ser cada vez mais difícil encontrar tempo para redigir umas linhas, sobretudo quando cada vez mais passo uma boa parte dos meus dias a escrever. E tenho saudades. Mas é precisamente porque o pouco tempo que me sobra é cada vez mais direcionado para estar mais perto das outras coisas e pessoas de quem gosto - e mesmo aí me sentir tantas vezes em deficit - que estou por aqui menos vezes. Valha-me a boa ideia de ter criado uma página de FB para este blogue, que me permite a partilha e comunicação diária que tanto gosto me dá!

Este bolo foi feito há quase uma semana. Foi o bolo de aniversário tardio da minha mãe e a receita não podia ter sido mais bem escolhida. O sucesso foi enorme porque a frescura da textura e dos sabores que propõe é absolutamente sublime. Não guardo segredo, a receita é esta, do não menos delicioso blogue Sweet Gula.
E as flores? Bom, as flores, como muitos sabem, são sempre uma parte importante na minha vida. Estas tive o privilégio de as descobrir na última edição do Mercado Gourmet do Campo Pequeno e são da Ervas Finas - segredos que se comem.

Afinal de contas, o que seria da nossa vida sem açúcar e amores-perfeitos, para equilibrar os dias que nos fogem?