6.12.11

Quem tem medo do escuro?


Não há grandes mudanças sem grandes ruturas.
Não é possivel estar bem com Deus e com o Diabo nem ter sempre na mão o melhor de dois mundos.
Há momentos de tudo ou nada. Momentos que nos obrigam, quer queiramos, quer não, a questionar rigorosamente tudo. Quem somos, ao que viemos, onde estamos e para onde vamos. E quem queremos ou não que nos acompanhe nessa viagem. Na instabilidade de horas assim cede-se sempre á tentação de usar fórmulas já conhecidas. Ensinam-nos desde pequenos que devemos controlar tudo e todos mas, com sagacidade e refinadissima ironia, a vida sempre se encarrega de nos mostrar que controlar é um dos poucos verbos que não se conjuga em fases de mudança. Empurrados por essa evidência e na impossibilidade de voltar á casa de partida, relançam-se os dados e passa-se á casa seguinte. Urgem então as respostas. Que alguém nos devolva em fórmula mágica a nossa falta de controlo, é o que se nos impõe.  Mais uma vez, impavida e serena perante tamanhas reivindicações, cala-se a Senhora Vida e á mão cheia, desmedidamente generosa, multiplica as perguntas que em espiral faz girar á nossa volta. Centrifuga-nos a dúvida. Instala-se o caos e o medo do que desconhecemos: Nós.
Não há grandes mudanças sem grandes ruturas. As circunstâncias da vida valem o que valem. É hesitar no medo de decidir quem somos ou quem queremos ser que pode mudar ou não alguma coisa perante elas. O resto, haja humildade, está totalmente fora do nosso alcance. Não há grandes mudanças sem grandes ruturas assim como não há respostas antes delas.
Foi a coragem de dar passos no desconhecido que sempre fez história e mudou o mundo. Aceitemos ou não, são as grandes ruturas que mudam a nossa vida. É depois delas que ficamos a saber melhor quem somos. E com quem contamos. Sempre. Em tudo.
Faça-se Luz.

6 comentários:

  1. obrigada. disseste tudo o que precisava de ouvir neste preciso momento. Se te conhecesse dar-te-ia um abraço apertado de agradecimento profundo. Vou levar comigo e citar-te no meu canto, porque mereces pelas palavras sábias e tão a jeito num dia complicado como o de hoje. Obrigada. Beijinho

    ResponderEliminar
  2. ai m., estas tuas palavras tocaram-me na ferida. também eu, mais do que querer, tenho que romper. por fora vai-se rompendo mas cá dentro .... aí é que mora a dificuldade porque o (meu) coração vive de avanços e recuos mesmo que a cabeça e os pés andem para a frente.
    mas vai-se fazer luz!
    um abraço forte

    ResponderEliminar
  3. Fi e A.

    É sempre gratificante saber que, de alguma forma, aquilo que partilhamos ajuda e faz sentido a quem nos ouve ou lê. Sendo certo que o caminho que cada um faz é pessoal e intransmissivel, o acolhimento do que partilhamos ganha nessas circunstâncias um maior sentido.
    Grata fico eu, pelas vossas palavras :)


    p.s.
    A., vai sim. Acredita.

    ResponderEliminar
  4. Se eu dissesse que "precisava" de ler este texto... e estas palavras, e esta "luz"... Agora. Acreditavas? Que sincronismo. :)

    ResponderEliminar
  5. Caramba, P! Estavas aí!
    Toda a força do mundo e um Sol-Mundo de energia positiva. Muita Luz! E aquele abraço que sabemos!

    ResponderEliminar