27.4.12

Pedras e Caminhos | ou da lucidez das escolhas


Nenhum homem é uma ilha, concordo. Apesar de tudo, e apesar de todos aqueles que possamos ter á volta ao longo da vida, que de certa forma nos rodeiam e apoiam, a vida é, no seu limite, um caminho solitário onde a sobrevivência - sobretudo a emocional - depende maioritariamente da nossa capacidade para ir adiante. E se há fases em que tudo se encaixa no lugar certo e tudo o que se desenrola á nossa volta é harmonia, outras há em que nada ou quase nada parece correr bem ou dar certo. Nesses momentos o caminho é mais solitário que nunca. Todo o piso é irregular e incerto. Há demasiados dias com nuvens e muitos outros toldados por densa neblina. É dificil que o caminho se faça sem escorregar, sem quedas, sem esfolar a alma e sem colocar arestas no coração. Mas é também nessas fases que melhor sabemos quem somos e aprendemos, se assim o soubermos aproveitar, a confiar nas nossas inumeras capacidades para evitar as pedras que nos podem magoar. Mesmo que a visibilidade seja pouca. 
Há sempre uma Luz no fim do caminho. Mesmo que não se veja, ela está lá. E no fim dele, quando a reencontramos, percebemos muito melhor com quem podemos realmente contar e com quem vale a pena partilhar a felicidade que tanto trabalho deu a conquistar. Sozinhos.

7 comentários:

  1. Parece ter sido escrito para mim... obg :)

    ResponderEliminar
  2. Não podia concordar mais!
    A vida é feita de momentos altos e baixos, qual montanha-russa mas nem sempre divertida.
    Mas é precisamente nos momentos mais difíceis que crescemos, que vemos mais além, apesar da "neblina" - como lhe chama.
    Há dias cinzentos...muito cinzentos. Chuvosos. Mas reconforta-nos chegar ao final do caminho, conseguir levantar a cabeça e ter o amor e apoio dos verdadeiros amigos! E da família, claro!
    Adorei este texto... e não poderia vir mais a calhar. Da minha parte, o meu muito obrigada por este raio de sol no meu dia.

    Deixo um convite para visitar o meu cantinho. É ainda um bebé mas vai crescendo polvilhado de muito amor e sopros de carinho de quem por lá passa. Gostava muito de receber a sua visita por lá. Se gostar do meu cantinho, pode também tornar-se seguidora dos meus pozinhos de fantasia! ;)

    Beijinho grande*
    http://paletadefantasias.blogspot.com/

    ResponderEliminar
  3. Gosto muito e quero partilhar no meu blog, será que posso?? Bjss

    ResponderEliminar
  4. Adorei ler...encontrei o blog por acaso...mas valeu a pena...Vou continuar a vir cá...
    "E no fim dele, quando a reencontramos, percebemos muito melhor com quem podemos realmente contar e com quem vale a pena partilhar a felicidade que tanto trabalho deu a conquistar. Sozinhos."
    Adorei,mesmo!Obrigada pela partilha de um texto tão bonito e tão real!Bjs.

    ResponderEliminar
  5. Muitas vezes questiono. Aceito viver assim mas questiono. Parece paradoxal mas não é. Porque é que tem de ser assim? Porque é que somos testados diariamente? Porque é que nascemos com todo o potencial possível para sermos os melhores naquilo que quisermos mas depois as pedras no caminho a maior parte das vezes mantém-nos acimentados?

    E que é um caminho solitário, mesmo que rodeado de vozes e abraços e risos, mesmo assim é.

    ResponderEliminar
  6. @ Flor, acredito que faça sentido a muita gente. Obrigada eu.

    @Carol, obrigada!

    @Joa, certamente! Obrigada!

    @Essência, obrigada pela visita e pelo comentário

    @Duchess, não sei, também me pergunto o mesmo... e há fases que fico cansada de tanto perguntar e não encontrar resposta. Vale-me sempre a Fé, antes da exaustão. É ela que me faz ter a certeza de que essas respostas existem e que só tenho de aguardar o tempo certo delas. Afinal de contas, sei pela minha vida que assim é...

    ResponderEliminar