10.4.12

Extremamente alto, incrivelmente perto

*A vida serão sempre as pessoas e as suas peculiaridades. Os seus gestos, os seus sorrisos, as suas lágrimas, o seu caminhar, o seu tom de voz, a cor dos seus olhos, as irregularidades dos seus traços, as suas palavras e a cadência com que as pronunciam, os seus silêncios e tudo o que sufocam. Sobretudo, muito, o que sufocam. São os sufocos que falam pelas feridas, pelos cortes, pelas as unhas roídas, pelo o mutismo, o estrabismo, a gaguez e todas e tantas outras coisas que nos matam devagar, primeiro dentro de nós e depois para os outros.
A vida serão sempre as pessoas e as suas peculiaridades e terá sempre gente com uma chave ao peito, a suplicar que outra gente lhe revele o caminho da porta que lhes dará as respostas que não conseguem encontrar. 
A vida serão sempre as pessoas e as suas peculiaridades e é de Eduardo Sá a frase que diz que quem nos ama verdadeiramente sabe sempre mais de nós do que nós mesmos. É essa, no final das contas, a chave que tudo abre e tudo revela. Porque é essa a diferença que existe entre amar alguém á nossa maneira ou amar alguém incondicionalmente, ou seja, na maneira dessa pessoa.
A vida serão sempre as pessoas e as suas peculiaridades. E é minha a teimosia de roubar histórias sem fazer perguntas, de desvendar segredos sem interromper o silêncio de palavras que se quedam mudas, de procurar fechaduras para as chaves que tantas vezes se escondem no bolso, mas que andam penduradas por um fio no olhar. E será sempre, sempre, a de nunca deixar de dizer o quanto amo a quem amo, porque nunca saberei se posso cá voltar.*
A vida serão sempre as pessoas e as suas peculiaridades. E o resto? O resto é só paisagem. Ou um soberbo cenário, se preferirem, para nos perdermos e nos encontrarmos.

*inspirado no filme com o mesmo título deste post

4 comentários:

  1. Sofia10.4.12

    Não sei como cheguei aqui, sei que não foi há muito e que desde aí passo diariamente. E todos os dias cresço um bocadinho e sou mais pessoa depois de a ler. Todos os dias me apetece levar as suas palavras ao Mundo: aprendam a viver e a buscar a felicidade!

    Nunca comento em algum dos muitos blogs que leio. Mas apetece-me agradecer-lhe o estar aí há muito. Hoje foi o dia, porque dizer às pessoas que elas são importantes e fazem diferença é urgente, "nunca saberei se posso cá voltar". :)
    Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Rita,
    Muito, muito obrigada pelo seu comentário. Acredite que trouxe sol ao meu dia. Volte sempre! :)

    ResponderEliminar
  3. Este texto está tão, mas tão bonito*

    ResponderEliminar
  4. Retificação: no comentário acima, queria obviamente dizer: Sofia :)


    Lila, muito obrigada.

    ResponderEliminar