10.1.12

Sobre coisas prosaicas da vida que os dias não são só poesia e questões existenciais

Aos 41 decidi que era chegado o tempo de me deitar e levantar com o mesmo penteado e não me habilitar a causar traumas de infância em fins de dia de praia a crianças de tenra idade também aplicável a adultos mais impressionáveis. Vai daí eis que, depois de demorada ponderação sobretudo da carteira submeti a minha farta cabeleira [not!] a algo semelhante a ficção cientifica, que na prática é uma espécie de permanente, mas ao contrário. Dá a dita pelo sugestivo nome de progressiva que, como o nome indica, é coisa para levar o seu tempo...
Duas horas depois de me ter sentado na cadeira do martírio o que eu adooooro perder a vida no cabeleireiro, senhores ouvintes! e ter levado com as desgraças todas das infelizes da praça nacional, espanhola e inglesa que o que mais me falta são bons livros para ler, entre os que já tinha e recebi no Natal eis que a minha cabeça emerge das trevas para a luz e, desde dia 6 para cá, que não vive no alto do toutiço outra coisa que não sejam fios de cabelo escandalosamente lisos!
Confesso que aqui para a menina, que tem uma identidade muito própria e bastante aversão a tudo o que não pareça natural, a adaptação, ainda que sem mácula ou prejuízo da felicidade de acordar apresentável, tem sido como a dita... progressiva.
Ainda assim, entre mortos e feridos e alguns rápidos momentos de crise de identidade frente ao espelho, acho que depois de passar este efeito Maga Patológica, a coisa vai ao sitio.
Submetido que foi aos dois mais duros testes do algodão - secar ao ar INALTERÁVEL e levar com uma boa dose de humidade da noite SEM UM ONDULADO QUE SEJA QUANTO MAIS UM DESGOVERNADO CARACOL, sou tentada a dizer que a vida é quase perfeita! :)


6 comentários:

  1. Sou apologista de que tudo o que nos poupe tempo de manhã é bom :)

    ResponderEliminar
  2. Claudia, é um milagre da química. Mas como qualquer coisa deste género só aconselho a fazer com um profissional em quem se confie.


    Ana, só a ideia de não ter de secar com secador no Verão me faz sorrir!

    ResponderEliminar
  3. Também quero! é que já estou farta de o esticar.

    ResponderEliminar
  4. Mas o teu cabelo é liso, não é? Eu tenho uma juba de caracóis, valham-me todos os santinhos. Já fui muito adepta do alisamento, mas agora, aos 31, decidi assumir os meus caracóis em todo o seu esplendor. Se não os podes vencer junta-te a eles!

    ResponderEliminar
  5. :):)

    Fiz uma há mais de 1 ano (alisamento japonês) e recomendo vivamente. Cabelo lisinho como eu gosto, super sedoso e brilhante.

    ResponderEliminar