18.1.12

Das saudades de escrever



Enquanto aguardo que o Tempo faça segundo a [sua] arte, seria uma benção conseguir voltar a escrever. Quem escreve sabe quão intensa é a vida das personagens dentro de si. Fica-se habitado de gente, gente que quer contar a sua história e se serve de nós, do dedilhar de palavras que saem não de nós, mas de si através de nós. E é isso que me falta. Falta-me gente que me habite. Tenho a alma devoluta de outras almas. Os que me habitam, e abençoada que me sinto pela vida esses são muitos, são os que me rodeiam, os que muito amo e que me estão próximos. Mas sobre esses não conto histórias. Esses fazem parte das páginas da minha vida. Leio-os em segredo e, ciosa do tesouro que são, guardo-os só para mim. Resta-me aguardar a tua visita, pássaro da alma.

4 comentários:

  1. =) força de vontade e inspiraçao!!

    Maria

    ResponderEliminar
  2. Não basta, Maria. Não basta...

    ResponderEliminar
  3. para que nos possamos encher precisamos, primeiro, esvaziar... o tempo estará a teu favor ... está sempre a favor de quem a ele se quer aliar...
    ...e, ao escreveres estas linhas tão bem escritas, sem te dares conta, já estás a escrever.
    :)

    ResponderEliminar