23.1.12

Dos dias diferentes

Para garantir a subsistência da sua vida e de alguns dos seus bens básicos, a A. decidiu tirar a filha do colégio para coloca-la no ensino oficial e ir viver para casa dos sogros para poder arrendar a sua casa a estudantes. A A. tem 45 anos anos, um emprego onde ganha o suficiente para uma vida regrada e é casada com um arquiteto vitima da falta de trabalho na sua área.

Para evitar a penhora de bens devido a um negócio mal parado de um familiar, que não teve sequer a amabilidade de avisar quem devia sobre a sua incúria empresária, a V. viu-se obrigada a pedir o divórcio do marido e pai da filha, com que é feliz e deseja continuar casada, e a ter de colocar á venda a casa que ambos sonharam e adquiriram há um tempo atrás...

Para que a família separada há um ano se voltasse a reunir e porque as coisas por cá não auguram bons dias, a A. (outra A.) partiu de armas e bagagens para Moçambique com os três filhos. A mais velha, apesar de adolescente e da pena de deixar para trás os amigos, foi a primeira a apoiar a mãe na sua decisão, com a certeza de que era a melhor para todos...


Estas são apenas três histórias que conheço de perto e que ilustram bem, muito bem, a elasticidade que o presente nos exige.
A vida mudou e obriga-nos a reinventá-la. O mais curioso é que não nos pede soluções novas, mas as antigas. Aquelas que já usámos e com as quais não só sobrevivemos ás tempestades da vida como conseguimos muitos e bons resultados a longo prazo.
A todos o que forem capazes de traçar novos rumos no meio destas adversidades estou certa que a vida trará a bonança merecida e recompensada.
Não desistir e ousar são, definitivamente, as palavras de ordem. Fechar os olhos e acreditar que se é capaz, o fio condutor de toda e qualquer mudança.
Acreditar em nós é o fundamental em tudo na vida. Não tenho a mais pequena dúvida do que digo.
E eu Acredito. Muito!

7 comentários:

  1. E como é tão importante A C R E D I T A R !!!

    Eu Acredito.

    ResponderEliminar
  2. e o Beijooo???

    faltou.me deixar.te o Beijooo, meu.

    ResponderEliminar
  3. Querida Margarida, a vida e o seu trajecto, como a convencionávamos até aqui, nunca mais será a mesma! Há efectivamente que ousar.
    Beijinhos e parabéns por este excelente testemunho. :)

    ResponderEliminar
  4. ACREDITAR, na maioria das vezes é "a" nossa melhor solução. ACREDITAR em nós e que vamos conseguir ultrapassar as dificuldades é a força criativa que nos ajuda a reencontrar o caminho. Mas não deixa de ser triste tomar conhecimento da existência de cada vez mais "histórias de vida" como estas... Espero que TODOS encontrem sempre uma solução ♥

    ResponderEliminar
  5. Acreditar sempre. Mas uma pontinha de sorte também ajuda. Espero que a (nova) vida dessas mulheres lhes dê isso. Bj**

    ResponderEliminar