30.1.12

Os momentos dificeis


Os momentos difíceis são particularmente especiais. E ricos. E promissores.
Os momentos difíceis fecham portas mas abrem janelas. Geram oportunidades. Mudanças. Recomeços. Coisas novas.
Os momentos difíceis doem, magoam, sangram. Mas também saram e curam e terminam. É com eles que aperfeiçoamos a arte de lamber as feridas.
Os momentos difíceis fazem parte da vida. Põe-nos á prova. Fazem-nos conhecer melhor os nossos limites, o nosso ADN e o nosso nome.
Os momentos difíceis fortalecem. Estruturam. Esclarecem.
Os momentos difíceis são cruciais para as grandes decisões.

Ontem deixei de fumar.

13 comentários:

  1. Querida Margarida, e agora é só esperar uma semana. Se conseguires superar a semana, estás salva!
    Palavra de uma ex-fumadora! ;)

    ResponderEliminar
  2. Boa sorte, Margarida. É difícil. Quantos fumadores desistem da sua tentativa mas também conheço imenso que CONSEGUIRAM. Basta querer!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Sem ajuda? Vai contando como está a ser que eu preciso de motivação :)

    ResponderEliminar
  4. Força! Tenho certeza que vais conseguir. :)

    ResponderEliminar
  5. Boa!
    Agora é que eu me apaixono por ti...hehehehehehe
    ...para mim esse era o teu "único" defeito...hehehehehe

    Beijo!

    ResponderEliminar
  6. Emenda: agora é que eu me apaixono ainda mais por ti...hehehehehe ;-)

    Beijo!

    ResponderEliminar
  7. Fizeste muito bem! Coragem e força! Beijinhos

    ResponderEliminar
  8. Querida Margarida,
    No último dia 18/01 fez 10 anos que deixei de fumar, o que com certeza não aconteceu sem certo esforço...minha tática foi não fazer disso maiores dramas, para evitar o sofrimento!!!
    Disso tudo, já passado esse Tempo, o que mais gosto é poder dizer (a mim mesmo) que sou um ex-fumante.
    Boa sorte nessa tua empreitada.
    Abraços,
    Werner

    ResponderEliminar
  9. Força amiga, ás vezes valem mais tudo junto e restruturar tudo de uma vez só do que andar às "pinguinhas".
    Parabéns pela decisão.

    ResponderEliminar
  10. Meus queridos todos,
    Antes de mais, obrigada pelo apoio e incentivo. Em segundo lugar devo esclarecer que apesar de fumar desde os meus 17 anos, houve poucas fases na vida em que me possa ter considerado uma verdadeira fumadora. Provavelmente mais pela altura da faculdade, e em algumas fases de trabalho há muitos anos atrás, em que cheguei a fumar um maço por dia. Mas a maior parte do tempo fui, até Domingo passado, uma fumadora por prazer e nos últimos largos, largos tempos, 2 anos pelo menos, um maço de tabaco dava-me para uma semana. Isto tudo para vos dizer que, ainda que requeira algum esforço, pelo prazer que tenho em fumar um cigarro em algumas horas do dia, não seria honesto fazer disto um feito como o das pessoas que fumam muito mais. Já o fiz por algumas vezes, em outros períodos e quase sempre em momentos de maior tensão ou dificuldade. Talvez porque me inquiete, de uma forma geral, qualquer tipo de dependência.
    Desta vez, a diferença está no motivo, ou motivação se quiserem. E por isso sei que foi de vez :)
    Sabia bem, mas não faz falta.

    ResponderEliminar
  11. Eu não fumo há mais de 2 anos, gravidezes e amamentações levaram-me a isso. Não sinto a falta. Agora de um belo copo de sangria de frutos vermelhos...isso sim:)

    Beijo e força, camarada força!

    ResponderEliminar