22.5.12

O principio do fim | ou breve ensaio sobre a Autonomia



Por mais independente que seja, nenhum homem é uma ilha. Por outro lado, há todo um sentido na expressão só faz falta quem está. Apesar de tudo, acho que só faz falta quem quer estar. Porque de quem quer estar e não está, sentimos sempre falta e não necessariamente no sentido da ajuda, mas da partilha. Porque quem quer estar e não está, é sempre uma ausência presente. Porque quem quer estar e não está, faz sempre parte, quer esteja ou não, fisicamente. Já quem não quer estar não faz falta nenhuma. Quer não esteja ou esteja sempre presente. Porque quem não quer estar e está, é a própria ilha. 
É também da sabedoria da escolha, entre as ausências presentes e as presenças ausentes na vida, que nasce a verdadeira autonomia de cada um.

Sem comentários:

Enviar um comentário