24.5.12

Cerejas




As primeiras cerejas do ano, oferecidas pelo Pai. E a sempre inevitável memória da música que aprendi na primária, e que ele me pedia vezes sem conta para cantar, no banco de trás do carro, durante as viagens de férias. Essa e a das amoras...

Nos ramos das cerejeiras há mil cerejas vermelhas, 
com elas posso fazer brincos para as minhas orelhas. 
As orelhas são só duas, as cerejas muitas mais.
Ainda chegam para mim, para ti e pr´ós pardais!


Uma boa parte do nosso património pessoal são as memórias. Felizmente, na minha balança pesam bem mais as boas.

2 comentários:

  1. Ainda não provei este ano. Eram boa?

    ResponderEliminar
  2. Ainda não são muito doces, mas já se comem muito bem :)

    ResponderEliminar