6.9.12

Silêncio



Há dias que as janelas de casa não se fecham. Vivem de persiana corrida, apenas na primeira camada. Dia e noite. E este som coado que entra pelas frestas iluminadas, ora pelo sol ora pelos candeeiros da rua, é o som da paz que toca há muitos dias de fundo. E até as cortinas andam lânguidas e com a preguiça do calor ficam paradas. 
O som do silêncio, é tão pacífico e tão preenchedor. E tão meu.

3 comentários:

  1. Sabes que consegui sentir este silêncio pelas tuas simples palavras? É verdade, senti e neste momento só queria um bocadinho desse silêncio. Gosto muito de estar comigo :) também.

    ResponderEliminar
  2. Chiça que inveja ... o que eu mais precisava era de um dia em silêncio, mas como educadora de infância ( em início de ano lectivo ) e mãe de duas crianças isso é uma miragem ...

    ResponderEliminar
  3. Bem sei, Algodão Doce, bem sei. E terás, certamente, dentro de pouco tempo momentos mais silenciosos, que te inspirarão ainda mais. :)


    Koklikô... pois... duas crianças em casa e educadora de infância fora de portas é dose contra o silêncio! Boa sorte e bom recomeço de ano! :)

    ResponderEliminar