25.9.12

Eu consigo





Eu consigo. É o que digo e que acredito. Mesmo nos dias em que o cansaço me leva a resistência física. Como hoje. Mas eu consigo "fazer isto". Sobretudo porque não me rendo ao mundo alicerçado no imediatismo que só concebe os resultados rápidos, a vida ao estalar dos dedos, aos cansaços instalados ao primeiro round em que se vai ao tapete. 

Eu consigo. Hoje talvez menos um bocadinho do que ontem. Porque uns dias o cansaço é adrenalina e noutros é cansaço em estado bruto e pesa em todo o lado. Mas eu consigo. Quando a vida se planta todos os dias mais um bocadinho na cultura da resistência, sabe-se que não basta plantar, cuidar, vigiar e investir para colher bons resultados. Muitas vezes, apesar do nosso empenho e esforço vem o míldio ou um sacana de um vendaval que levanta as raízes e leva as estacas. É a vida! Fazer o quê?... Cruzar os braços?...

Eu consigo. Mas todo o solo fértil, depois de muito lavrado pede descanso. 

Eu consigo. Mas parar nem sempre é sinal de fraqueza. A mim, saber como e quando parar parece-me um claro sinal de inteligência e de respeito por quem somos e até mesmo por até onde queremos chegar.

"Eu consigo". Mas "Eu consigo" não deve ser a palavra de ordem ao serviço do "esgotamento" dos recursos  naturais e internos de que dispomos. 

"Eu consigo" - diz o solo fértil - "Mas para conseguir mais, deem-me pousio".


Está dado!

9 comentários:

  1. Afinal de contas o Outono é tempo de recolher para pausar no Inverno.

    ResponderEliminar
  2. Sou a favor da rotação (a cultura intensiva pode provocar um impacto ambiental enorme) e do pousio...

    ResponderEliminar
  3. Se alguém há-de conseguir, és tu! ;)

    ResponderEliminar
  4. E depois do pousio o conseguir é muito mais fértil :)

    ResponderEliminar
  5. YES YOU CAN!

    Pessoas especiais (como tu) merecem o melhor do mundo!!!!!!!

    ADORO-TE ****

    ResponderEliminar
  6. É preciso saber parar para depois prosseguir. O corpo dá-nos os sinais certos, aceita-os.

    Beijinho, e força.

    ResponderEliminar
  7. O pousio é necessário para melhorar as colheitas das próximas sementeiras. Também preciso de um pousio na minha vida, apesar de gostar da adrenalina da lufalufa diária. Mas cansa.

    ResponderEliminar
  8. o quanto eu me identifiquei com esse post!
    bjs

    ResponderEliminar
  9. @Ana, é verdade, mas não sou bicho para hibernar... é mais um bocadinho como aquele spot do leite Matinal "se eu não cuidar de mim, quem cuidará?...)


    @Rui, também eu! Ainda por cima porque ainda nem era moda já eu era a favor da cultura biológica. Para mim todos os fertilizantes naturais são batota! ;)


    @Scarlet, my dear... é bom ouvir isso, vamos lá ver até onde vai a minha resistência! ;)


    @Maria, assim o espero! :)


    @Paulinha, sabes que já te o disse, todas (a gigante maior parte, vá) as pessoas são especiais), assim queiram ter o trabalho de lutar por aquilo em que acreditam e não fujam da sua essência por ser o caminho mais fácil ou mais rápido. Ser feliz dá trabalho. Muito. Tanto! É por isso que muita gente prefere queixar-se a fazer o caminho.
    Tu bem sabes quantas e quantas vezes te doeram e doem os pés, por isso te admiro tanto!
    Beijo gd!


    @AC, minha querida, nunca ignorei ou substimei o meu lado animal. Ouço sempre o que o corpo me diz e raramente tenho dificuldade em perceber a sua linguagem ;)
    Obrigada!!!


    @Aline, eu também gosto da adrenalina. Se há coisa para que não fui feita foi para a vida sedentária... mas só podemos dar o que temos e, se nos distraimos e esgotamos, fica mais dificil continuar ou voltar para trás. Eu tento sempre não chegar a essa encruzilhada.
    Com um Principe pequenino fica sempre mais dificil descansar, mas tenta! ;)


    @Teresa, é bom saber. Obrigada por o partilhar. E descanse! ;)

    ResponderEliminar