18.10.10

Long time ago...

Querida Mamã,
Não passaram 12 meses. Tudo isto começou quando um dia, na tua existência, menina-mulher sonhaste ser mãe. Tudo isto começou quando imaginavas como seria ter-me nos braços, sentir o meu cheiro, tocar a minha pele, ver-me dormir e sorrir ao acordar. Tudo isto começou quando não sabias se o desejo de me ter, de me conhecer, conseguia superar o medo de errar, de não conseguir. Tudo isto começou quando ambos soubemos que um dia nos havíamos de conhecer. Tudo isto começou quando há muito mais de 12 meses eu decidi que estava na hora de vir. Também eu tinha os meus receios, sabias? 
Não passaram 12 meses. Há 12 meses foi apenas o primeiro dia de uma outra longa aventura. 
Obrigada, mamã, pelos teus braços, que me protegem, pela tua voz, que me tranquiliza, pela tua pele que me aquece, pelo teu olhar atento, que me ilumina. 
Mas sabes, mamã, o que mais te agradeço nestes últimos 12 meses? Agradeço-te pelos teus receios e pelas tuas dúvidas. Não percebes, mamã?... Pois não vês que são elas que fazem ter a certeza do quanto me amas e te preocupas?
Parabéns, Querida Mamã. Eu sabia que ia ser bom, assim! 

8 comentários:

  1. agora fiquei curiosa... virá aí outra boa parte de ti? :)

    ResponderEliminar
  2. Que lindo... estou aqui com um sorriso "ºparvinho" na cara... o amor é tão lindo!

    ResponderEliminar
  3. Walker,
    Não, não nesse aspecto. Por aqui a "fábrica" fechou. Apenas a carta de um "sobrinho" querido à sua mamã, de quem sou amiga desde os 5 anos e que é madrinha da minha filha. :)

    ResponderEliminar
  4. Todo o Amor é lindo, é verdade, amiga Sofia.

    ResponderEliminar
  5. Amiga, será o avançado da hora, será a emoção, será a idade que me vai sugando a nostálgica inspiração para as palavras, será qualquer outra coisa ou será tudo isto.
    Nunca serás (e nunca foste)para mim uma ausência. Acompanhas-me todos os dias porque uma amizade de tantos anos está dentro de nós, não desvanece.
    Sempre que nos encontramos retomamos tudo (conversas, afectos, emoções) como no dia anterior, só assim podes escrever-me as palavras que escreves.
    Obrigada por esta amizade, obrigada pelas tuas palavras, obrigada por seres quem és e perdoa-me o pouco de mim que consigo colocar nestas linhas.
    Adoro-te

    ResponderEliminar
  6. Hoje é a segunda vez que me emociono a ler "palavras escritas" - cada vez me convenço mais que nunca se sente demais, que nunca devemos calar as declarações de amor. Que não devemos ter medo de nos deixar levar pelo que de melhor somos "feitos" - a ternura, a fragilidade, o encantamento :))

    ResponderEliminar
  7. MB,
    NUNCA. Nunca devemos calar as palavras de amor, concordo inteiramente contigo.

    São elas que tornam a vida maior e com mais sentido.
    Obrigada pelas tuas palavras.
    Um beijinho

    ResponderEliminar