27.11.10

O Sábado e a Rua

Lisboa tem cada vez menos comércio de rua. Tenho pena. À excepção do coração de Lisboa - Baixa, Chiado e Bairro Alto - que, ao fim de muitos anos de assustador abandono pós incêndio, parece finalmente ter reanimado e voltado a bater com grande força, as ruas de Lisboa vão-se despindo de lojas e de gente. Campo de Ourique, por exemplo, jaz morto e arrefece. 
Não cometo a hipocrisia de dizer que os Centros Comerciais deviam ir todos abaixo, mas a verdade é que cada vez mais me pergunto como vão no futuro coexistir todos, de tal forma brotam como cogumelos a cada metro quadrado. Confesso que, seja ou não para fazer compras, gosto de percorrer as ruas e ver montras, entrar e à saída reencontrar o ar e o céu da cidade, o cheiro das castanhas assadas, os escuteiros que nos convencem a comprar mais um calendário, a cigana que vende a melhor marca de contrafacção ao pior preço, a cor das árvores a mudar de roupa, o movimento da vida sempre em eterno fim e recomeço.
Já algum tempo que andava adiado o passeio. Hoje voltei a um dos raros lugares onde tudo isto ainda é possível. A Guerra Junqueiro.


Mil Folhas que conheço há uma vida e que, para quem não sabe, começou no Castil.






A discreta Arboretto que só os olhos atentos conseguem descobrir...









O anjo do pecado... porque ter uma loja assim fechada ao sábado devia ser proibido!



O perfume quente da rua...



... uma espécie de Vá para fora cá dentro.


... que a deliciosa Accessorize Londrina está longe


... mas por cá temos a Teresa Alecrim de sempre!


Se a isto somar o sabor de, num improvável encontro, cruzar o caminho com uma querida amiga a quem quero todo o bem do mundo e confirmar no brilho dos seus olhos quanto o amor e a felicidade são o que de melhor podemos ter na vida, temos a receita de um dia com muitos ingredientes para ser perfeito! 

Foi bom ver-Vos, Sofia! =)

16 comentários:

  1. eu adoro passear e "esplanar" na guerra junqueiro e sou fã incondicional da mil folhas (que só conhecia como quer que embrulhe). um igual àquele home sweet home figura na entrada da minha casa :)

    ResponderEliminar
  2. Que fotos lindas!!! E que sorte ficaste a conhecer o bebé mais famoso da blogosfera, o Martim!

    ResponderEliminar
  3. Querida M. agora na Av. João XXI abriu uma mega padaria, tem uma enorme quantidade de pães. Podes ler mais aqui: http://producaonacionalfazbem.blogs.sapo.pt/54127.html
    Tenho de aproveitar por fazer esse passeio às montras. Nunca costumo ir para essas bandas, só ao Chiado. Obrigada pela dica ;)

    ResponderEliminar
  4. Tenho saudades de trabalhar em Lisboa por causa das minhas caminhadas solitárias de fim de dia. Muitas vezes saía cedo do emprego e caminhava sem destino certo, dava comigo já perdida e depois lá me encontrava em roteiro conhecido e tenho saudades de me cruzar sempre com pessoas e de reparar nelas, nos sacos que levam, o que vestem, como caminham, as histórias que contam...

    ResponderEliminar
  5. Que saudades grandes me deste de passear na Guerra Junqueiro.

    Obrigada pela partilha saborosa.

    Beijo de miudaaa

    ResponderEliminar
  6. Vagamundo,
    Se calhar aquela chama-se Quer que embrulhe, à semelhança da das Amoreiras, mas de facto o dono de ambas e da Livraria Castil começou com a Mil Folhas, nesse centro comercial. Tenho coisas com quase 30 anos, compradas lá. Pertencem a uma colecção de pequenas caixas em lata e postais. ainda hoje é uma loja especial, mas naquela altura, em que havia tão pouco, era sublime!
    Por acaso não tenho o hábito de esplanar por ali ;)
    Beijinho

    ResponderEliminar
  7. T,
    O que te levou a tirar a conclusão de que conheci o Don Martin?
    Quanto a padaria, adorei a dica, vou mesmo lá espreitar!!! E não deixes de ir até à Guerra Junqueiro. Desta vez já não subi a Av. de Roma, mas também vale a pena.
    Beijo grandeeee

    ResponderEliminar
  8. Scarlet,
    Cada um com as suas... eu tenho saudades de trabalhar em Sintra e ainda mais em Colares, e de ter o privilégio de fazer um caminho rodeado pela natureza, como um cenário, sempre a mudar. (suspiro)

    ResponderEliminar
  9. Fizeste-me viajar querida Margarida... Obrigada!
    Um beijo grande

    ResponderEliminar
  10. Ainda bem! Ficámos mais perto =)

    ResponderEliminar
  11. Bem foi relativamente fácil. Lembro-me de uma vez falarmos e de te referires à Sofia como autora do blog "às nove no meu blogue" do qual sou leitora assídua, e de que a conhecias, lembro o blogue dela já tinha percebido que estaria morar em Lisboa perto da Av. de Roma. Pelo que quando li o teu post, com o nome Sofia no final, acendeu uma luzinha e depois ler um post no "às nove no meu blogue" a falar de felizes encontros por acaso, foi a só confirmação. Não trabalho para a CIA, foi apenas um click que se fez. Fico feliz, pois são duas óptimas "blogueiras" que demonstram nos respectivos blogues as Super Mulheres que são, a todos os níveis. Muitas felicidades e o Dom Martim deve ser uma fofura.

    ResponderEliminar
  12. Querida T., fizeste-me soltar uma gargalhada! :)
    Só te posso dizer que não era propriamente elementar, meu caro Watson! Mas sim, tens razão, era a essa Sofia (conheço mais umas quantas!) que me referia. Dom Martin é um doce!
    Já pensaste montar uma agência? ;)

    ResponderEliminar
  13. Querida M.
    Para imensas coisas, sou do mais distraída possível, não reparo em nada. Mas para outras faz-se o click rapidamente, foi o caso!
    Montar uma agência?!? LOLOLOL cujo principal objectivo seria descobrir a identidade das blogueiras mais conhecidas. Precisaria é da tua preciosa ajuda ;)

    beijocas
    T.

    ResponderEliminar
  14. Querida e doce M., tão linda, de sorriso perfeito e olhar profundo :). Adorei este feliz encontro e aquele abraço prometido.

    Um grande beijinho e obrigada!

    ResponderEliminar
  15. A repetir, com calma, querida S.!
    Até breve =)

    ResponderEliminar