11.11.10

Adeus

Morreu o senhor do Adeus.

Muitas foram as vezes que percorrendo à noite a cidade de Lisboa o nosso olhar se cruzava com o aceno de um homem alto e magro, onde sobressaiam uns óculos de massa pretos, uma espécie de Yves Saint Laurent das avenidas, para quem a passerelle era a calçada portuguesa e o tema do desfile o adeus. Invariavelmente vestido da mesma forma, será possível que mesmo no Verão andasse de gola alta? era uma fígura mística, uma espécie de fantasma perdido no tempo, reencontrado a cada esquina.

Muitas vezes nos interrogámos sobre a origem, idade e vida da estranha personagem, que a todos os carros acenava, não com gesto de cumprimento, mas com um seráfico sorriso de despedida. 

Hoje, no dia em que se despede de Lisboa, a sua bizarra mas inofensiva história fica escrita.
R.I.P.


5 comentários:

  1. Que pena e que perda...
    Bj**

    ResponderEliminar
  2. Querida M.
    O senhor do adeus também se rendeu à blogosfera. Existe um blog com as semanais críticas cinematográficas dele.

    http://senhordoadeus.blogs.sapo.pt/

    Beijocas
    T.

    ResponderEliminar
  3. Querida T.
    Não fazia a mínima ideia. As coisas que tu sabes! ;)
    Beijinho e obrigada

    ResponderEliminar
  4. O que um pequeno gesto,pode encher um coração...talvez carente...talvez solitário...talvez vazio...eu gostava de me cruzar com ele acenar-lhe e sorrir e sentir que o meu dia seria bem melhor depois de um gesto cheio de carinho.
    Já tenho saudades...

    Bj com luar

    ResponderEliminar
  5. Moonlight,
    Nunca lhe disse adeus, mas achava uma personagem curiosa.

    ResponderEliminar