23.10.12

Campo *2












Tudo aqui tão perto. Tudo à mão de semear. E quem passa na estrada nem sabe o que a berma esconde. 
Quem não procura, quem não se entrega ao prazer das pequenas descobertas, não desbrava e não encontra. 
É assim com todos os tesouros da vida. Dos mais simples aos mais complexos. É essa a essência do amor.

9 comentários:

  1. Não sei se estou a ficar preguiçoso, se velho, ou "ambas as duas".
    :)
    Fiquei com inveja das fotos (estão lindas!), um destes dias pego na máquina e vou por aí...

    ResponderEliminar
  2. Sabe, Tive o privilégio se ser criada no campo :)) aprecio demais estas imagens

    ResponderEliminar
  3. sao muito bonitas estas fotografias!

    ResponderEliminar
  4. Lindas Amiga.
    Fiquei com vontade de me meter à estrada, as minhas bermas são feitas de A5...

    ResponderEliminar
  5. @dear all,

    sabem qual é o prazer acrescido destes registos? é poder partilha-los com quem me vista!

    já agora, a quem possa interessar, foram tiradas na Serra de Carnaxide. Admirados?... Ah pois é! ;)

    @Rui, nunca percebi muito bem o que era isso de inveja boa... com o seu comentário, acho que descobri! ;)
    Vá, saia, fotografe! A vida a agradece!

    ResponderEliminar
  6. está TUDO aí... mesmo como EU gosto!
    Obrigada por partilhares este sitio maravilhoso (que deve estar cheio de fadas escondidas)
    :D

    ResponderEliminar
  7. Que encanto. Eu adoro o outono, é a minha estação do ano favorita.

    ResponderEliminar