7.5.10

O que mais gosto em nós


Da nossa sonoridade.

Como esta música, que sempre que oiço me transporta muitos anos atrás.
Nesse tempo, o céu azul era um quadro emoldurado pela janela de uma pequena assoalhada onde o sabor do que nos aproximava crescia. Nela trocámos palavras e silêncios, abraços, sorrisos e lágrimas [as minhas, sempre].
Sabes quantas vezes, no imenso privilégio da nossa imensa amizade, me salvaste de mim?...

Hoje, entre tudo o que sempre me deste e aquilo que nunca esperaste, a assoalhada mudou.
Hoje moras mais perto, mais dentro.
Hoje moras em mim.

3 comentários:

  1. Resposta: Porque te é efectivamente familiar.

    Bj

    ;)

    ResponderEliminar
  2. ... gosto das tuas palavras. Transbordam felicidade.

    ResponderEliminar