5.5.10

Fiquei triste


Tenho andado relativamente longe de algumas coisas. Absolutamente longe de outras. Não se pode estar em todo o lado ao mesmo tempo. Ou pode. Já pude. Já consegui. Já me desdobrei em muitas partes - dos outros e de mim. Hoje, quando me sinto cansada com pouco, quase me sinto mais cansada ainda de pensar o quanto já me desdobrei, entre profissão, familia, amigos, pintura, escrita, voluntariado, enfim... Fui feliz. Fui muito feliz nesses tempos e não me queixo. Mas a idade não é a mesma e a fase da vida ainda menos.
Tenho andado relativamente longe de algumas coisas. Mais perto de outras, é verdade. Neste momento escolher a que ou quem dedico o tempo passou a ser um luxo que me permito, num exercício declaradamente egoísta da minha parte. Gostava de estar em mais lugares, com mais gente - costumo dizer que as pessoas são o meu único vício - mas o tempo que me sobra para estar comigo é curto e nem sequer sinto remorsos por isso. É a velhice.
E todo este desabafo para dizer, entre garfadas nas massas frescas recheadas do Pingo Doce, que cozi ontem à noite e que acompanho com uma generosa salada de alface com coentros ao computador do emprego, que aproveitando a pausa do almoço para visitar blogues que gosto e me inspiram, só agora reparo - ao fim de uma eternidade, seguramente! - que um deles deixou de existir.
O Verdade ou Veneno acabou. Ou mudou de lugar sem deixar novo endereço. Pouco importa.
Não conhecia a Imaculada ou a pessoa que se resguardava por detrás deste nome, nem sei já como a descobri. Mas tenho pena. Tenho sempre pena quando deixo de ler pessoas que tratam a escrita por tu e que deixam fluir pela ponta dos dedos todas as emoções que as varrem por dentro. Admiro-as, sobretudo, e tenho sempre muito aprender. Verdade ou veneno era um desses espaços. Por ali muitas vezes me emocionei e não raras vezes me identifiquei. Não sei se venceu a verdade ou o veneno. Sei que partiu.
Tenho pena, muita pena, mas a vida é assim mesmo. Uma verdade ou uma consequência.

5 comentários:

  1. É verdade sim. Também lia o Verdade ou Veneno, e numa das minhas ausências por estes lados, deixou de fazer parte dos meus dias. O que me deixa pena, porque gostava muito de a ler.

    ResponderEliminar
  2. Olá! Eu sou a Imaculada. O Verdade ou Veneno não acabou... desapareceu. Alguém lhe fez o funeral, não fui eu. Tenho muita pena de não lhe ter guardado a memória ou que se tanha perdido assim. Fiquei triste, tal e qual vocês. O meu Verdade ou Veneno partiu senm que eu soubesse porquê. Obrigada por me acompanharem, não sei se voltarei, porque não percebi o que aconteceu... Talvez volte. Se voltar, quero-vos lá. Porque escrevo para gente como nós!!

    Uma vez mais, obrigada pelas palavras.


    paula.freitasferreira@gmail.com

    ResponderEliminar
  3. Imaculada.
    Fico feliz com o teu regresso e por te teres assinalado por aqui. O que me relatas é assustador. Nunca pensei que tal fosse possível sem intervenção do dono do blogue. Eu, por causa da perda de acesso à password - também sem saber bem como - do meu e.mail fiquei sem acesso aos meus antigos blogues, mas aquilo que me dizes é bem pior e também não consigo perceber como será possível. Enfim, ao que parece arrumaste isso mais ou menos bem. Vou seguir-te pelos novos espaços.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  4. Sim, é de facto assustador. Ainda não há novos espaços, houve uma tentativa, não continuada... Estou a pensar fazer renascer o "Verdade ou Veneno", mas de facto nem sei bem como... Dizem-me que tenho de ir alterando as passwords, para que não volte a acontecer. Bem, foi um amigo meu que encontrou o teu comentário, pois perdido o blogue, perdidos os vossos nomes e espaços. Obrigada!

    ResponderEliminar