8.12.12

Do Natal de sempre



O Natal é das épocas do ano que mais gente divide. Entre os que adoram e os que não se revêm nele. Entre os que contam saborosamente os dias até à reunião familiar que o pontifica, aos que pedem em segredo, ou nem tanto, que tudo passe rapidamente.

Já o referi muitas vezes, na minha família, na minha casa, o Natal sempre foi vivido com muita alegria e magia, muito sem dúvida por grande influência da minha mãe que sempre o viveu de forma muito especial, contagiando todos os que a rodeiam.

Sou filha única [contrariada, para que conste!], venho de uma família pequena, nuclear, com alguns primos mas com distância física e confesso ter uma certa pena de não reunir neste dia mais gente em torno da partilha que representa.

Mas para mim o Natal não é nem será nunca picar ponto, com gestos de circunstância nem rotina por rotina. Para mim o Natal é e será sempre uma forma de assinalar em ocasiões especiais o valor que têm na minha vida a comunhão e a partilha. Com a família que temos e com a família que escolhemos. Com os que amamos, com aqueles a quem queremos bem, com os amigos.

Por isso na minha casa, onde tenho tanto prazer em receber, é Natal todo o ano. Apesar de tudo, confesso, em Dezembro esse Natal tem sempre outro encanto!

Ontem foi dia 24 de Dezembro por aqui. Numa noite que começou cedo e se nos distraíssemos mais um bocadinho, acabava em dia.

Que bem que soube ter-vos comigo, meus queridos amigos!



5 comentários:

  1. Que nunca se perca essa estrela que te orienta e que brilha mais forte no natal :) partilhar afetos, risos e doces é o maior presente que podemos dar e receber.

    ResponderEliminar
  2. Também sou filha única. Mas só senti o verdadeiro espírito natalício em criança e, agora, com as minhas filhas. Não o de consumo, mas o de partilha, de mimos doces e de reencontros!

    ResponderEliminar
  3. @Scarlet, o sentido maior da vida, para mim, é ser e fazer feliz. Todos os dias :)


    @Ovelha, sem dúvida que quando temos crianças por perto o encanto desta época aumenta. E se "fizermos bem" o nosso trabalho, a razão fundamental nunca se baseará no numero de presentes que damos ou recebemos.





    ResponderEliminar
  4. Hummm e recebes tão bem. A perfeição existe, e noites mágicas também.

    Beijo grande grande:)

    ResponderEliminar
  5. @AC querida, my big pleasure, to have you with me!

    But there´s no such thing, like perfection. All that you have is love and affection to give :)


    Love is the answer. Love is all we need.

    ResponderEliminar