22.12.12

Conta-me como foi no Outono passado











Podia dizer que o Outono que ontem terminou não deixa saudades. Em termos profissionais, representou a estagnação do trabalho, investimento e resultados de uma boa parte dos meses anteriores, daquilo em que apostei com toda a minha força, empenho e dedicação desde o desemprego que chegou em Março deste ano.
Podia dizer que o Outono que passou não deixa saudade, sobretudo se olhar para trás e concluir que, mais do que este Outono, foi precisamente desde o inicio do Outono do ano passado que a minha vida iniciou um ciclo de luta, dúvida e dor acrescida. Passou um ano. E foi um ano particularmente duro em muitos aspetos. Vi partir aquele que acreditava ser o amor da e para a vida, num duro luto que levou o seu tempo a fazer. Trabalhei em condições particularmente adversas, em circunstâncias quase impossíveis de descrever, inconcebíveis ao mais básico senso comum, com real e iminente perigo para a integridade física. Em Março vi chegar o fim que se antecipava claramente desde Janeiro de 2012, regressei a Lisboa, deixando para trás a certeza de que fora naquele Sul que encontrara a minha verdadeira casa, a noção de pertença a um lugar onde não tenho ou alguma vez tive raízes ou vínculos emocionais que a ele me ligassem anteriormente. Aquele onde desejo voltar e voltarei, assim a consistência dos dias o permitir fazer em segurança, estabilidade e amor. Foi por isso um ano de desenraizamento e de novas sementes lançadas à terra, que apesar de todo o trabalho, cuidado e vigilância, ainda não germinaram. 

Podia dizer que o Outono que ontem partiu não deixa saudade. Mas deixa. A vida é feita de ciclos, uns de bonança, outros de tempestade. O que passou não foi de facto dos mais felizes da minha vida mas teve, como sempre têm todas as fases, momentos memoráveis. Do Outono que passou, e do ciclo de um ano que ele encerrou, ficam os momentos de felicidade inesgotável que a natureza sempre me proporciona, o preenchimento do coração com os amigos e a familia que ficaram mais perto fisicamente, a companhia e partilha de tudo e tanto com a minha M. querida e a certeza de que a vida vale sempre a pena, porque não há nada que não passe. Se há fases em que a Felicidade se demora, outras há em que a adversidade vai embora e fica longe por muito tempo. E eu sei que esse tempo está a chegar. Falta pouco. Até lá, agradeço o muito que ainda tenho. Obrigada, Outono, pela beleza, energia e cor dos teus dias!

8 comentários:

  1. Fiquei emocionada ao ler este post.
    Que a luz dourada e as cores quentes do Outono te acompanhem sempre e aconcheguem o teu coração em dias cinzentos e frios.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  2. Minha querida, espero que não tenhas que esperar até ao próximo Outono para que as coisas melhorem...
    Quando mesmo nas alturas difíceis conseguimos valorizar o que temos e desvalorizar o que perdemos, a felicidade está lá. E a Felicidade não é isso? A saúde e amor dos nossos mais que tudo?
    Desejo que 2013 permita realizar todos os teus sonhos. Que tenhas um Natal muito feliz, cheio de paz e amor junto dos teus.
    Obrigada por este cantinho doce, que visito com muito gosto!
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  3. Cara Margarida, que o inverno inicie um novo ciclo de bonança.
    Um santo atal para ti e para os teus.

    ResponderEliminar
  4. Nossa! Que texto íncrivel!!
    Me emocionou!

    è mesmo nem tudo são flores ou dias de sol!!
    Mas todos eles tem sua luz!!

    Boa passagem de ano para ti!

    ResponderEliminar
  5. Emocionei-me ao ler o teu texto.
    Cheio de sentimento e verdade.
    Desejo que um novo ciclo comece até ao próximo Outono, em que as folhas caem e a Natureza aguarda por renovação. Mesmo em tempos difíceis, há sempre coisas a valorizar e ter esperança em melhores momentos.
    Que a felicidade venha pé ante pé, preencher um novo ciclo.
    Desejo-te um Feliz Natal e um bom ano, que os teus sonhos se realizem. Sonhar sempre! :)
    Um beijinho.

    ResponderEliminar
  6. Porque o ACREDITAR que tens a correr-te nas veias, vai sorrir para ti já já... cheio de orgulho.
    Porque o ACREDITAR o teu ACREDITAR é uma boa parte de ti.

    Beijo meu, M. Querida do meu <3

    ResponderEliminar
  7. Querida M. Eu acredito e tu também que depois da tempestade virá a bonança e com isto espero que o teu próximo seja repleto de coisas boas. Tu mereces porque és especial! E todos os seres especiais, com a sua luz terão aquilo que desejam ainda que o caminho seja sinuoso. Feliz natal para ti e para os teus mais queridos. Abraço.

    ResponderEliminar
  8. E eu agradeço as suas palavras. A verdade que se sente em cada uma delas... Que este seja um Natal de muita LUZ e que, de alguma forma, possa também ser um novo recomeço. Beijinho grande

    ResponderEliminar