19.1.10

Santos de casa NUNCA farão milagres... em três breves exemplos

#1
No fim de semana, a M. foi à milésima Pijama Party.
No dia seguinte, disse-me feliz e contente da vida que ao pequeno-almoço tinha bebido leite de vaca. Eu, parva, sorri e disse:
- Ó filha, mas de vaca são todos. É aquele que bebes!
- Não mãe! Não percebes! Este é mesmo de vaca a sério. É que o pai da M.P. é veterinário e para não deitarem fora o leite ele traz para casa numas garrafas de vidro pequenas!
E eu, agora ainda mais parva...
- E então, gostaste???
- Hummmm mãe! É tão bom! Se pudesse bebia sempre leite daquele!

Pusesse-lhe eu à frente um leitinho desses a ver se a menina bebia... era ó bebias!!!


#2
A M. vai passar um fim de semana a Ferreira do Alentejo e a tia põe-lhe à frente uma sopa de beldoegras... a mim só o nome já me arrepia... come aquilo tudo sem um pio e no fim ainda diz que gosta!

Desse-lhe eu um pratinho daqueles a ver se comia... era ó comias!!!


#3
A M. vai cortar o cabelo e a cabeleireira faz-lhe um ligeirissimo novo penteado, na verdade ainda mais giro que o habitual. A M. reclama comigo, de lágrimas nos olhos, que não gosta nada de se ver assim, porque sempre usou risco ao meio e detesta risco ao lado.
Converso com ela e explico que percebo, que não foi por mal, nem para a contrariar. Que independentemente de lhe dizermos com frequência que fica gira com o risco ao lado, o seu gosto deve ser respeitado e que por isso, para a próxima pedimos para o manter...
Dois dias depois, à saída do balneário do ginásio, exibe um exuberante risco ao lado, acompanhado por um rasgado sorriso na cara e diz-me:
- Mãe, olha, não está giro? Hoje fiz risco ao lado!
- Pois, acho que não vale a pena falar no assunto, mas não te dissemos sempre que te ficava melhor??? Só nos limitávamos a aceitar o teu gosto...
- Pois... mas hoje a M. disse que eu ficava melhor assim e eu fiz!


Sabem que mais? Acho que é caso para ficar descansada...
Acho que a isto de contrariar os pais também se chama um crescimento saudável!





4 comentários:

  1. Que relato delicioso.
    E como estes, sei que tens e terás mais para contar, mas achei-os verdadeiramente deliciosos :)

    Um Beijo da miudaaa (+ outro)

    ResponderEliminar
  2. É verdade, tenho muitos e alguns irrelatáveis :))

    Beijo muito grande para ti, minha querida!

    ResponderEliminar
  3. Querida M.
    Eu era exactamente assim. Em casa era sempre um "pisco" para comer. Em casa de outras pessoas, como não queria ser indelicada e fazer-me de esquisita para com a comida que as pessoas carinhosamente cozinhavam para as visitas, comia tudo sem pestanejar.
    Quando chegava a casa e a minha mãe me perguntava o que tinha comido e eu lhe dizia, ficava sempre muito espantada, porque eram coisas que eu jamais comeria em casa.
    Acho que é normalíssimo, portarmo-nos melhor em casa de outras pessoas do que na nossa :p

    Muitos beijos****************

    ResponderEliminar
  4. Querida T.
    Acho que se passou mais ou menos o mesmo com todos nós. Aos 7 ou 8 eu adorei comer caldeirada em casa de uma amiga e ainda hoje é prato que passo. :)
    Mas pronto, agora que sou mãe tenho de desempenhar o meu papel e queixar-me, certo?
    Beijinho grande

    ResponderEliminar