24.1.10

Acredita

Queria tanto entregar-me como mereces.
Era tão mais doce e fácil deixar entrar o Sol do teu gigante colo e o calor dos teus protectores abraços.
Não sei se é cedo, ou tarde. Ou simplesmente se nunca chegará a hora.
Só sei que não há palavras que cheguem para dizer o que sinto, por saber que mesmo em todos os silêncios estás e estiveste sempre desse lado.
Só por isso, que nunca foi pouco, mereces o melhor.
E isso, tenho sérias dúvidas que possa algum dia ser eu a dar-te.

2 comentários:

  1. O sorriso é a linguagem da cumplicidade, não é?
    Outro grande, para ti! :)))

    ResponderEliminar