12.2.11

Manteigas, em Lisboa







Sendo desde muito jovem uma fã incondicional de Manteigas e depois de ter visto com grande carinho e admiração aquela vila entalada na Serra da Estrela crescer e ser tida como exemplo de qualidade de vida, foi com enorme pena que fui assistindo nos últimos anos às suas enormes perdas e retrocessos. As fábricas de lanifícios que a sustentavam foram fechando, uma a uma, até à última. Onde outrora fervilhava vida,  hoje envelhece-se.
Felizmente há gente que não só gosta do seu país como sabe associar a capacidade empreendedora, à inovação sustentada pela visão. São poucos, é verdade. Mas haja orgulho nos que não só existem como são muito bons.
É o caso da Casa das Penhas Douradas, um projecto familiar, começado há meia dúzia de anos. Uma semente deitada à terra, que de tão cuidada, dá cada vez mais e melhores frutos. 
Para os amantes do que se faz bem em Português, um espaço a não perder, na Rua Nova do Almada, 103.
Eu, garantidamente, vou ser cliente assídua.

E de tudo, tudo, tudo, estas mochilas/capuz em burel são simplesmente um must que me apaixonou. Não te esqueças de mim, Pai Natal :)

8 comentários:

  1. Ainda ontem passei por aí também e achei um piadão a essas mochilas! :)

    ResponderEliminar
  2. Em 2008 fui à Serra da Estrela e com muita pena não consegui passar em Manteigas, mas desde que vi um artigo sobre a Casa das Penhas Douradas fiquei com tanta vontade de ir conhecer a loja. E logo no Chiado, que é um sítio onde gosto tanto de ir:)
    Bjs*

    ResponderEliminar
  3. Interessante! Vou visitar e explorar, já que partilho desse teu sentimento por pequenas localidades, afastadas dos centros urbanos.

    ResponderEliminar
  4. Lady C,
    Acho que ontem meio mundo andou no Chiado

    ResponderEliminar
  5. B. Cerise,
    Sou muito suspeita, no que toca a Manteigas, mas recomendo mesmo vivamente esse lado da Serra. Entretanto, a loja é sempre um bom aperitivo.

    ResponderEliminar
  6. marie,
    felizmente há quem goste de portugal.

    ResponderEliminar
  7. Porque diz isso? Por estar lá muita gente ou muitos lhe terem dito que foram lá?

    ResponderEliminar