20.8.14

Crónica dos dias felizes III


- temperados com outro sal -

6 comentários:

  1. Respostas
    1. Muito obrigada, Ashley. E... Bem vinda! :)

      Eliminar
  2. Têm outro sabor...e as fotos também.
    :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É verdade, Rui... e era capaz de "mergulhar" naquele sal e naquela paz até desmultiplicar em mil toda a vida que ali fervilha... assim a máquina me ajudasse! ;)

      Eliminar
  3. O que eu brinquei nas salinas de Castro Marim. Os montes de sal eram grandes escorregas brancos, que faziam arder as esfoladelas nos joelhos, próprias da idade e de quem brinca ao ar livre e em (quase) total liberdade, num local onde todos nos conhecem (e relatam, no cabeleireiro, as nossas tropelias à nossa avó, no dia seguinte).
    Que boas memórias me trouxeste, Margarida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que memórias e emoções deliciosas, essas, Ana!
      Tenho a certeza que tudo o que essas esfoladelas ardiam era bem recompensado pelo sabor da brincadeira e da liberdade, num lugar tão diferente daqueles que tinhamos no dia a dia.

      Obrigada pela tua partilha (e desculpa a demooooora na resposta ;) )
      Beijinho

      Eliminar