22.1.14

Hoje, um post ao estilo "Índios e Cowboys"*



 

Apesar de ter já 75 anos, a jovem e irrequieta miúda ruiva destas imagens não fez parte das nossas brincadeiras de criança. Pelo menos das minhas!

Madeline foi a personagem mais famosa e mais bem sucedida de Ludwig Bemelmans, escritor e ilustrador austríaco de livros infantis e um Chef gourmet internacionalmente conhecido.

O nome da sua personagem foi inspirado no nome daquela que viria a ser a sua mulher e gerou sete livros, seis deles publicados em vida e um descoberto depois de sua morte e publicado como obra póstuma. Os livros contam a história de Madeline Fogg, uma menina órfã que vive em num orfanato com outras meninas, todas sob os cuidados de uma freira, a Irmã Clavel. Outras personagens incluem Pepito, filho do embaixador espanhol, que vive na casa ao lado; Lorde Covington, dono da casa; e Genevieve, uma cadela que resgata Madeline de um afogamento no segundo livro.

A história de Madeline, pode muito bem ter sido em parte inspirada na história pessoal do seu próprio autor, que com seis anos viu o seu pai abandonar a familia com a governanta que cuidara do próprio Ludwig, na infância.

O primeiro livro de Madeline foi adaptado para uma curta-metragem de animação em 1952 e nomeado para um Óscar. 

Por cá, Madeline chegou há pouco mais de uma década, pelas mãos da marca de brinquedos Imaginarium. Como cá por casa havia uma pequenina Madalena, adotá-la foi inevitável. Apesar de tudo, a pequena, simpática e ruiva Madeline não foi companheira de grandes brincadeiras da nossa pequena Madalena. Com um guarda roupa tão apetecível quanto pouco prático de vestir e despir, foi decididamente uma compra que encantou mais a mãe do que a filha. E se dúvidas ou falta de memória tinha, foi fácil avivá-la com esta mini sessão fotográfica! É coisa para fazer qualquer miúda desistir à primeira troca de visual!

A querida Madeline, como o Paddington, o Babar e tantos outros personagens que povoam o nosso imaginário de pais, está religiosamente guardada com todos os seus acessórios. Quem sabe, se um dia houver uma neta curiosa, talvez ela a chame para brincar :)


Entretanto, munida do verdadeiro espírito investigador do querido Chefe Índio, ainda fiz mais algumas pesquisas, para partilhar convosco.

Como este filme, feito a partir das ilustrações do primeiro livro



esta página, onde podem encontrar tudo sobre ela!

Entretanto, ao revisitar esta personagem de inspiração francesa, foi impossível não me lembrar dos deliciosos, divertidos e desconcertantes trigêmeos mais charmosos de França, Les Triplés, de Nicole Lambert. Por isso, aqui fica desde já o desafio ao nosso querido Chefe Índio, que adora seguir pistas e sinais de fumo, para que nos conte mais sobre a sua história.

 *Inspirada aqui

7 comentários:

  1. Maravilha!
    E mais uma vez houve magia e telepatia entre nós!
    Andava a preparar um post sobre a Madeline e tenho imagens de uma festa fantástica para partilhar :)
    Abençoada Raio de Sol!
    E hoje finalmente, o sol brilha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Chefe Índio e Raio de sol nem precisam falar... comunicam por sinais de fumo ;)

      Fico à espera do post!

      Eliminar
  2. Gostava muito dos desenhos animados quando era pequena. Mais tarde, a minha mãe descobriu as bonecas e chegou a oferecer-me a Madeline com algumas roupas e a Miss Clavel.
    Este post fez-me recordar um pouco da minha infância :) Obrigada

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana Sofia... separam-nos 20 anos... está tudo explicado ;)

      Eliminar
  3. Que boas recordações que este post me troce agora. Muito, muito obrigada por isso. não imagina o quanto eu adorava ver estes bonecos e quanto eu ficava maravilhada. A grande novidade que este post me troce, foi saber que existiu uma boneca Madeline. Fiquei mesmo eternizada pelas boas lembranças que me proporcionou, agora. =)

    Um beijinho, Andreia. ♡
    http://pontofinalparagrafos.blogspot.pt

    ResponderEliminar