14.3.10

E ontem foi assim

Num museu onde nunca se paga entrada.
Até 4 de Abril, visita-se também uma fabulosa exposição com obras dos melhores ilustradores infantis do mundo, num percurso para nos fazer sonhar. Ou sofrer, se forem invejosos como eu!



















[palavras que valem por mil imagens. pela mão da M.]



Muito!
E por ti, contra ventos e tempestades, serei sempre capaz de dar a volta ao mundo.


























6 comentários:

  1. ... o melhor que temos!
    Sem dúvida, os filhos! :)

    Beijo!

    ResponderEliminar
  2. Que linda e sábia frase da tua filhota!
    beijinhos*
    ~universosquestionáveis~

    ResponderEliminar
  3. Ora, o que se tira daqui...

    * esse edificio é qualquer coisa! passei aí no fds e comentei isso... e que, se fosse poder de rico, fazia dali a minha casa... e outras coisas!

    * acho fantastico como os miudos pegam nos lapis/canetas hoje em dia... não percebo! no meu tempo ensinavam-nos a pegar de outro modos e quase todos o faziam do mesmo jeito... agora cada um pega de modo mais estranho que o outro. será um concurso?

    * botas giras... ainda que não sirvam para andar a cavalo...

    * o.amor.é.fantástico.e.lindo.e.aquece.nos.por. dentro.e.por.fora...

    * finalmente, gostava que um dia alguém fosse capaz de dar a volta ao mundo por mim... (ou algo do género...)

    ResponderEliminar
  4. S&P, sem dúvida. Uma das partes mais importantes da vida de quem os tem.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  5. Carla,
    Julgo que partilhas da opinião que todas as crianças são pequenos sábios.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Miguel:
    * o que seriam as outras coisas?...

    * existe um norma ISO para isso? no teu tempo éramos formatados. hoje, felizmente, algumas vezes já não!

    * estas são as que uso na horta!

    * é, é sim. e o amor dos filhos é especial, como bem sabes e embora não deva ser um sucedâneo de outros, a verdade é que nos faz, no seu contexto, ser muito muito felizes na sua companhia.

    * é uma ambição, como outra, que respeito e compreendo. mas talvez não seja necessário tanto. às vezes um quarteirão já é representativo. :)

    ResponderEliminar