7.11.13

Viseu



Não visitava Viseu há cerca de três anos e o reencontro foi triste. Além das casas senhoriais e brasonadas como esta que estão entregues à sua má sorte, o comércio tradicional e tantas outras referências emblemáticas da cidade têm as portas fechadas. Mas, afinal, nem sempre o mal é da famigerada crise, fico a saber por duas irmãs que atendem numa das poucas lojas de sempre que encontro aberta - uma drogaria tradicional que me lembro desde a mais tenra infância. Afinal, a maioria das portas fechadas daquela rua - e de outras tantas - é responsabilidade dos seus proprietários, gente demasiado endinheirada para se dar ao trabalho de fazer as obras necessárias nos imóveis onde em muitos casos chove... 

Viseu, como esta digna casa de nobre granito, morre às mãos de quem a possui.

Há algum dicionário que explique o léxico deste território com nome de país? Haverá algum dia limite para o nosso incomensurável provincianismo?

4 comentários:

  1. Se haverá ou não eu perdi a minha esperança muito cedo e por esse mesmo motivo hoje encontro-me noutro país. E daria tudo para trazer os meus familiares, pai, mãe e mana. Sofrer o que sofrem em Portugal? Para quê quando noutro país qualquer dão-nos o devido valor...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostava tanto de dizer algo simpático para contrariar... :(
      Que sejas feliz aí, é o que posso desejar!

      Eliminar
  2. No alentejo há castelos dos quais só restam duas ou três pedras e outros remendados a cimento e com janelas de vidro...

    ResponderEliminar