6.4.10

Ilusionismo


Passamos a vida a desiludir-nos com os outros, mas a verdade é que somos os únicos responsáveis pela ilusão acerca de alguém. Cada um é o que é. A expectativa é o que se deseja que o outro seja. A realidade é o que ele é.
Sem a expectativa, que não passa de um mero exercício de projecção de imagem do que queremos para nós, pode haver surpresas mas dificilmente haverá desilusão. E só a última costuma alojar a dor que nos faz perder a esperança de acreditar.
Não te iludas, faz o teu caminho. Ninguém o pode fazer por ti.

14 comentários:

  1. Mas sabes que por vezes é necessário sonhar ou iludir-nos? é uma espécie de tapar o sol com a peneira, mesmo que por vezes nos tenhamos que desiludir. Já me aconteceu imensas vezes mas, talvez seja nessa desilusão que passamos a conhecer a verdadeira essência dessa pessoa.
    E aí aprendemos mais uma lição e a ver a realidade com outros olhos.

    ResponderEliminar
  2. Nós sabemos disso, mas continuamos a desiludir-nos...
    beijinhos*

    ResponderEliminar
  3. Já percebi, sem querer ser detentora de uma verdade absoluta que a vida prepara-nos estas partidas chamadas desilusões quando menos esperamos.
    Em tempos lutava para que assim não fosse.
    Hoje, percebo que o nosso tempo, os nossos dias, não são iguais aos de mais ninguém e o nosso tempo nem sempre combina com o dos outros.
    ViVo com quem gosta de gostar de mim porque eu gosto de gostar de quem gosto... e com eles ViVo.

    Beijo meu, minha querida M. de quem eu G O S T O O O !!!

    ResponderEliminar
  4. Quem gosta de gostar, há-de gostar sempre assim como também se irá desiludir sempre.
    Eu gosto muito de gostar... mas tenho aprendido a deixar para trás quem não me quer na mesma proporção. O processo é tão mais doloroso quanto maior for a expectativa criada em torno dessa(s) pessoa(s). É uma triste realidade, mas que nos dá belas lições sobre nós mesmos.

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Há pessoas que só existem mesmo para atrapalhar e discordar das coisas, sejam elas pensamentos simples ou complexos, sejam outras coisas, pequenas ou grandes...

    Eu sou uma dessas pessoas... Sorry!

    E agora, o post em si...

    Isso, tendo alguma verdade, ou sendo verdade algumas vezes, é mais uma daquelas balelas que serve para desculpar tudo a certas pessoas... Certas pessoas que são sempre as mesmas que precisam de desculpa para tudo, que nunca têm culpa de nada... Mas então somos sempre nós que somos estupidos ou ceguinhos e não vemos o evidente? Ai é?
    Então e não há gentinha que diz que faz, que acontece, que morre por ti, que vai à lua e volta se for preciso e depois, quando é realmente preciso "coiso e tal que afinal não é bem assim", "que tenho duvidas e mais não sei quê"...

    Mas não há por aí tanta gente que conta o conto do vigário? OK, alguns contam-no tão mal que uma pessoa normal devia perceber logo isso mas olha que há outros que não... E há pessoas que nem sequer é o conto do vigário que contam... São mesmo assim e tu é que não sabes, porque não podias saber mesmo! Bruxas só nos filmes... Podes abanar o nariz (talento que nem sei se tens!) e ter uns mindinhos todos jeitosos (sorry, nunca reparei!) mas de certeza que não te dão super poderes desses (talvez doutros mas isso já não conta para aqui...).

    Portanto, BTW, muitas vezes somos nitidamente induzidos em erro exactamente por aquela pessoa em quem era suposto confiarmos mais...

    E mainada! Não me venham cá com a culpa é sempre nossa... Às vezes é, mas outras não!

    ResponderEliminar
  7. Miguel, (só tu para me fazeres responder a testamentos!)

    1º e 2º parágrafo: não era preciso dizer, eu já tinha percebido! :P

    Quanto ao resto: a palavra culpa não se aplica aqui. Não a usei, até porque gosto muito pouco dela. E sim, mantenho a minha opinião acerca da nossa responsabilidade na ilusão. É claro que há profissionais no assunto, mas assim como há quem só roube velhinhas, por serem indefesas e já não conseguirem correr atrás, também há quem junte a fome com a vontade de comer - e esqueçamos aqui a versão menos recomendavel da imagem, para o contexto. Ou seja, a verdade é que só nos iludimos com o que mais desejamos ver, ouvir ou sentir, muitas vezes sem nos preocuparmos no momento em colocar os pés no chão e em tomar atenção aos sinais - tantas vezes assustadoramente evidentes, como vimos a relembrar a posteriori. É por essa razão que digo que temos responsabilidade na ilusão. Não leste em lado nenhum neste post que quem o faz é menino ou menina de côro e que é aceitavel que o faça, sem qualquer escrupulo ou só porque na altura não lhe apteceu pensar muito nas consequências.
    Já o facto de ficarmos agarrados a isso ainda considero mais estranho. Se alguém é capaz de nos desapontar tanto dessa forma, após um perido de luto que me parece natural, porque sofremos sempre que nos sentimos enganados, não há como olhar para essa pessoa a não ser com indiferença. Esta é a minha opinião.
    Sei que concordas que quem não gosta de ti e não te respeita, não te merece.
    Não conseguir assimilar isso por dentro, nãpo o digerir, é manter o registo de desilusão. Ou seja, mais uma vez nos mantemos cumplices.
    Se alguém nos ama: ON
    Se alguém nos desrespeita: OFF

    E mainada (para mim, claro!)


    BTW: sim, abano o nariz e sim, tenho uns mindinhos jeitosos.
    feitiços? só por encomenda.
    :P

    p.s para tipos chatos com comentários longos: respostas longas só conversadas, que não tenho tempo nem grande paciência para ficar horas a teclar as minhas opiniões.

    ResponderEliminar
  8. Fónix, BTW, quase me fazes sentir mal por vir aqui opinar... :(

    Eu gosto, que queres que faça?

    Para mim é um prazer, mesmo a esta hora, sentar-me a comer uma maravilhosa taça de morangos e a escrever aqui as minhas parvoices... Não te sintas, NUNCA, obrigada a responder, nem por escrito, nem verbalmente, ok?

    Eu não discordo do que escreveste, mas nem sempre é assim. Ainda há uns dias comentei noutro lado, já nem lembro onde, sobre isto.
    Eu não concebo que me digam um dia que eu sou a 8ª maravilha do mundo (sendo um obvio exagero devo entender isto como um sinal?), que nunca ninguém a fez sentir assim, que eu sou mais isto e mais aquilo, que não me quer perder e um mês depois já não interesso para nada...

    Eu até entenderia isto se tivessemos 15 ou 20 anos mas, por acaso, nem é o que acontece!

    Quanto ao mentermo-nos debaixo de agua, pois rapariga, a teoria é uma coisa muito simples, o que nem sempre acontece com a pratica!

    Posso encomendar-te um feitiço?

    :p

    ResponderEliminar
  9. Miguel,
    Estava a brincar contigo. Sabes bem que aprecio as tuas opiniões. És um ET muito inteligente e muitissimo claro nas tuas posições, qualidade que aprecio. Mas também já alguém te disse - que li - que tens tendência a agarrar-te ao lado menos positivo. E eu concordo. Mas tens todo o direito do mundo de sentir as coisas dessa forma e de as expressar como expressas. Só que, quanto a este assunto, já conversámos on line e on life e, tanto quanto me parece, dificilmente iremos acertar agulhas.

    Um feitiço?... Hmmmm... faz-me o briefing! ;)

    Em etês: Bjgdpqbtwgt

    ResponderEliminar
  10. BTW,

    Eu não questiono, por principio, as opções das pessoas. Cada um opta por onde quer optar. Eu, tu, ele, nós, vós, eles! Todas!

    Mas desilude-me IMENSO que seres humanos se escondam atrás de mentiras, de palavras, do que quer que seja, e digam coisas que não são verdade. Isso custa-me assistir, seja comigo, seja com quem for!
    E custa-me então uma enormidade quando pessoas em quem confio, a quem me entreguei quase de olhos fechados, o fazem.

    Sou estupido?
    Também!

    Mas se as pessoas não confiam nas pessoas, que mundo é este?

    ResponderEliminar
  11. Só por curiosidade, rapaz:
    Os ETs não criam calos?

    ResponderEliminar
  12. Os ETs não criam nada!
    Nasce tudo do Universo... junto do coração...

    :)

    ResponderEliminar
  13. Ganda Miguel!!!
    Não és estúpido, és totó! Como eu.
    Grande abraço.

    ResponderEliminar
  14. Meninos,
    Vamos lá pôr ordem na tasca! :) (há muito tempo que não havia conversas cruzadas, por aqui...)

    Miguel:
    A mim também me desilude IMENSO que seres humanos se escondam atrás de mentiras, de palavras, do que quer que seja, e digam coisas que não são verdade. Isso custa-me assistir, seja comigo, seja com quem for! Aliás, tenho uma péssima relação com a mentira. Sou das que defende que por muito má que seja uma verdade, uma mentira é sempre muito pior.
    Só não permito que isso me envene o resto da vida e que essas pessoas deixem de ocupar o lado bom da minha vida para passar a ocupar o lado mau. Alimentá-las dessa forma é permitir que nos continuem a fazer mal. Não podemos evitar que existam e nos enganem? Às vezes não! Podemos evitar que nos minem por dentro e nos façam viver na amargura e mágoa do que afinal não deram ou não fizeram? Podemos. Sempre.

    Zé:
    Nesse contexto, seremos 3 totós. A diferença é não me parece útil, enriquecedor ou que altere alguma coisa ficar toda a vida a bater na mesma tecla. A não ser que queiramos acreditar que a vida é feita à medida do que desejariamos e que basta sermos honestos para que todos os outros o sejam.

    Para ambos:
    Seria lindo que para toda a gente tudo nascesse, crescesse e morresse junto do coração. O meu Universo é assim, mas sei que existem outras galáxias.
    Simplesmente não é assim e, a não ser que sejamos totalmente alienados, já o sabemos há uns bons anos. Pela nossa experiência e pela dos que nos rodeiam!

    Beijinho para ambos.

    ResponderEliminar