5.4.11

Estou apaixonada!



Autora de letras e músicas, dotada de uma voz cristalina e de uma dicção remarcável [coisa que tantas e tantas vezes falta aos melhores] creio que Luísa Sobral não se podia ter apresentado de melhor forma. No mais trendy vintage spirit, as músicas com que nos presenteou transportam-nos para ruas de cidades sem pressas e bailes recreativos de Domingo à tarde. Como quem abre um baú esquecido no sótão de uma tia-bisavó que até se podia chamar Laura, respira-se a luz e o ritmo de tempos idos, povoados de memórias rendadas e os cuidados da porcelana, não descurados sequer nos detalhes de bom gosto da imagem escolhida para a estreia. 
Discutível? Nem toda a gente gosta?... E quem disse que estou à procuras de consensos?...
Eu estou apaixonada. E rendida me confesso!

13 comentários:

  1. Já somos duas! Está a tocar em repeat desde que comprei o cd! É maravilhoso. Alegre e tranquilo ao mesmo tempo.

    ResponderEliminar
  2. É isso mesmo, um excelente compromisso. Harmoniosa companhia :)

    ResponderEliminar
  3. E por falar nisso...tenho prenda para ti!
    ;-)

    Beijo!

    ResponderEliminar
  4. Vou procurar... adoro pessoas apaixonadas!

    Beijocas doces minha linda M.

    ResponderEliminar
  5. Querida Margarida, tenho para mim que vai ser a minha próxima aquisição!
    Para além das excelentes músicas, acho a imagem, de sonho.
    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  6. Anónimo6.4.11

    Puxa! Chama-se a isso um texto inspirado! A condizer, aliás, com a intérprete-música-autora-criadora! Verdadeiramente remarcável! Entrosado no mais trendy vintage spirit (não sei como é que se põe isto em itálico). Aliás, isto apaixona qualquer pessoa. E merecia um post (já sei que é assim que se diz) assim, com tanto sentimento, com tanto de memória, com tanto de verdade, de autenticidade. Será que a Luísa Sobral sabe que tem gente assim a ouvi-la? E que até inspira recordações de tias-avós tão queridas? Será que ela não gostaria de saber? Também posso ficar um tanto apaixonado e rendido?

    ResponderEliminar
  7. Gostei muito de a ouvir no 5 para a meia noite.
    Pareceu-me uma miúda muito simples e com a certeza do que quer.
    Bj**

    ResponderEliminar
  8. S&P... estou a salivar... ;)
    (ai, credo! isto dito assim... até parece mal!)

    ResponderEliminar
  9. Paula, eu gosto, mas nada é consensual...

    ResponderEliminar
  10. Manuela,
    Na minha modesta opinião, é um álbum que se saboreia com todos os sentidos :)

    ResponderEliminar
  11. Caro anónimo, não só ela sabe o que se escreve sobre si como se escreve tanto mais e melhor sobre si. E, por justiça, passo a transcrever um texto publicado na revista Sábado desta semana, assinado por João Gobern e que li após a publicação do meu post:
    "A segurança contagiante e a contínua superação dos 23 anos de Luísa Sobral nada têm a ver com autodidactismo. Percebe-se que o estudo foi decisivo para soltar as amarras e unir as pontas que se misturavam no talento e nos apetites da cantora. O resultado é um disco absolutamente descomplexado (até na versão de Saiu para a Rua, de Rui Veloso), obscenamente feliz e despudoradamente bonito. Grande voz, belas canções, muita intuição à solta a fazer sonhar com voos ainda mais altos"
    A este comentários, muitos se somaram nas últimas semanas, pela blogosfera e fora dela. A Luisa não só merece, como não necessita do meu modesto mas merecido post, para nada!
    Mas agradeço o seu comentário.
    Faz bem apaixonar-se. Ela merece! :)

    ResponderEliminar
  12. Tanita,
    Também me parece ter essa determinação, o que pode explicar em grande parte a maturidade deste álbum.

    ResponderEliminar