2.6.10

Porque ontem foi Dia da Criança #2




Talvez muita gente não perceba o alcance ou reconheça o valor das Instituições que ajudam mulheres grávidas. Uma boa parte das pessoas, calejadas pelo eterno processo de mão estendida a que o nosso povo já se habitou, tende a associar o trabalho que nelas se faz ao incentivo do facilitismo e à desresponsabilização. Nada mais errado. Quem, como eu, teve o privilégio de conhecer mais a fundo o que se faz nesse âmbito, sabe que o processo é exactamente o inverso, dando a cana, é verdade, mas ensinando a pescar.
Num país onde quase nada a nível nenhum se faz em nome da prevenção, o que se faz nestas Instituições ganha ainda maior relevo.

É fácil perceber que a maioria das pessoas seja sensível às Instituições que acolhem crianças negligenciadas, maltratadas ou abandonadas. No entanto, se nos perguntássemos porque é que o numero das mesmas cresce assustadoramente de ano para ano, talvez fosse fácil perceber que a única forma de reduzir esses números fosse investir na causa e não no efeito.

Enquanto voluntária e coordenadora de voluntários, conheci bem de perto o trabalho que se faz na Ajuda de Mãe. Por isso, se se cruzarem com esta divertida campanha para recolha de donativos, não hesitem em vestir uma barriga. Garanto-vos que o donativo gerado será muito bem utilizado.

Para mais informações, procurem no Facebook a página Barrigas Diferentes, Amores Iguais!



5 comentários:

  1. Obrigado pela partilha!!! Excelente... vou ver!!

    ;)

    ResponderEliminar
  2. Não questionando nada do que aqui está escrito, até porque concordo com bastante disso, o que pergunto é (em todas essas instituições e não numa ou noutra) quantas pessoas estão realmente interessadas em pescar?

    É que o problema não é darem as canas e ensinar as pessoas a pescar mas sim darem o peixe e ensinarem as pessoas a pescá-lo... A mim parece-me muito mais facil ir buscar directamente o peixe...

    Nada a ver com isto mas o estado a que o pais cehgou, e nós por arrasto, tem muito a ver com este conceito e com o que se fez de há uns 15 anos para cá com os milhões de subsidios que foram distribuidos pelo pais, quase sempre fomentado a destruição da produção - compraram-se jipes em vez de modernizar a agricultura, destruiram-se barcos de pesca, destruiram-se plantações varias... foi só estender a mão. Muitos desses hoje continuam de mão estendida porque foi isso que lhes ensinaram a fazer...)

    Claro que tudo isto faz, como sempre, que uma ou outra coisa que até funcione bem, seja metida no mesmo saco de tudo o que funciona mal ou é escandaloso...

    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Concordo contigo, Miguel.
    E claro que o que conheço desta realidade também o confirma, infelizmente.
    Conheci casos em que muita gente se aproveitava do apoio para ir fazendo o que lhe apetecia, sem qualquer responsabilidade. Mas no meio disso, e felizmente era a maioria, havia muitas mulheres a conseguir dar a volta às suas vidas e outras, que inicialmente só pensavam em dar os filhos para adopção, por medo e falta de recursos, a ficarem com eles, responsavelmente felizes e realizadas. E isso, meu caro amigo, garanto-te, compensa tudo o resto. Um dia, se quiseres, apresento-te uma parte desse mundo. As miúdas gostam de o conhecer e para quem tem filhas adolescentes, garanto-te que é muito pedagógico.
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
  4. Agradeço essa disponibilidade e vamos falar disso porque acho bastante interessante os miudos verem essas coisas... Muitas vezes dão como adquiridas realidades que nem sempre acontecem...

    GDT :) m :p

    ResponderEliminar
  5. Quando quiseres, amigo!
    A única limitação é ter de ser durante a semana.

    ResponderEliminar